Erros e acertos na Iluminação Residencial: Parte 2


Alguns dias atrás fizemos um post falando sobre erros e acertos na iluminação residencial. O post fez sucesso, e por isso repetimos a dose! Dessa vez vamos mostrar mais 4 ambientes e falar sobre os erros e acertos que foram cometidos neles. Pronto para aprender um pouco mais e evitar esses erros no seu projeto? Então venha com a gente!

Ao final, não se esqueça de nos mostrar ambientes que você tenha dúvidas sobre a montagem. Iremos te ajudar no que for necessário!


1 - Ambiente Clássico




O primeiro ambiente é clássico, com um elemento tradicional na iluminação, a famosa bola de vidro. O lugar também contém um quadro e gesso, num primeiro olhar. O pendente acima da mesa parece ter sido uma decisão acertada, tanto em termos de altura como no conjunto da obra.

Tem um spot no gesso logo na entrada que foi bem escolhido, mas por ser um ambiente com poucos elementos de iluminação, poderia haver algo com mais personalidade. Existem spots com cristal que além de dar um belo toque de estilo, ainda contam com os valores do feng shui envolvidos.

Outra coisa que daria para fazer seria rebaixar o teto e deixar apenas uma sanca. Da forma como ele está hoje, é necessário ter uma luz para iluminar o quadro à direita, uma iluminação na planta atrás da mesa e também no aparador. A parede branca e o chão claro dão uma boa refletância, que 4 ou 5 spots já seriam suficientes para entregar um resultado bem aconchegante.

Esse pendente tem uma luz difusa, fazendo uma bola de luz, o que vai gerar sombra em sua volta. Olhando dessa visão a partir da foto, são essas as impressões que temos. Mas o espaço está aberto para que você opine também, caso queira. Mande para nós o seu comentário!


2 - Living com Tolomeu



Aparentemente, esse living tem um cantinho de trabalho ao fundo. Existe uma luminária tolomeu, que é bem bonita e combina com o ambiente em questão. A saída dela é diferente, e no caso da foto o resultado foi legal porque ela não seguiu o padrão comum de luminárias.

Ela ficou tão boa que daria até para usar duas, uma vindo de cada lado. Algo que poderíamos fazer é trabalhar ali no fundo com uma mini dicróica ou R70. Antes, é claro, deve-se analisar a altura do pé direito para que a escolha feita seja a mais correta possível.

Ali atrás tem uma bancada branca, com uma iluminação leve. Até dá pra entender, já que colocar uma iluminação mais forte destoaria com o resto do ambiente. Mas nesse caso, o melhor seria uma luminária de mesa, ou até mesmo outra tolomeu, já que existe ela de mesa. Assim daria pra seguir o estilo e ter uma boa iluminação.

Na esquerda, bem no finalzinho, dá pra perceber que tem um facho de spot batendo nas duas poltronas. Isso é legal porque não vai atingir a cabeça da pessoa. Desse jeito a iluminação do lugar ficou bem minimalista e pontual, sem o famoso problema do queijo suíço.



3 - Quarto minimalista


 


Nesse caso a iluminação tem um belo pendente. No último texto que falamos sobre erros e acertos na iluminação, citamos que eles devem ser usados acima de peças como criados-mudos, o que foi feito nesse caso. A vantagem disso, principalmente para apartamentos pequenos, é o de abrir espaços no ambiente. Ao invés de usar abajur, você tem mais espaço para usar porta-retratos, telefones ou outras coisas assim.

Não deu pra entender bem a luminária de chão, já que não parece ser algo muito prático. Uma coisa que precisamos levar em conta é que não é necessário que os dois pendentes seja iguais. É possível combinar técnicas, como pendentes e abajures um de cada lado, ou pendente e arandelas, conforme as imagens abaixo.



Figuras 1 e 2 - Erros e acertos na iluminação: combine técnicas!

No caso que estamos falando, provavelmente a pessoa que fica à direita não é ligada em leitura, já que as peças escolhidas iluminam para baixo e pouco pra cima. Mas a pessoa do lado direito deve gostar, já que a iluminação é apropriada para isso. Isso acabou sendo uma combinação bem legal.

Na questão de usabilidade, talvez o pendente principal não seja a melhor opção. Para pessoas desastradas, ele pode ser um problema, já que é muito fácil esbarrar na peça. Nesse caso, talvez seja mais interessante usar uma tolomeu, que daria para regular de acordo com a necessidade da pessoa.


Outro ponto que podemos analisar é o uso dos spots, que são visíveis através do espelho. O facho de luz está na porta, com um ajuste mínimo o foco pode ser melhorado expandido e melhorado. Onde está a colcha verde poderia haver um spot duplo para destacar essa parte, por exemplo.


4 - Quarto vintage


 


Esse quarto lembra um pouco hotel, né? Ele tem papel de parede, cortina escura, tapete e outros elementos mais escuros. Até o abajur tem a cúpula preta. Esse quarto só está sendo bem iluminado porque a cortina está aberta. A cúpula preta dos abajures toma muita luz, fazendo com que o facho de luz seja indireto, pra cima e pra baixo. Como sempre falamos, esse efeito de luz traz aconchego ao local.

Para hotel isso é ok, porque entrega descanso, mas não sabemos se isso seria uma boa opção para um ambiente doméstico. Talvez fosse legal complementar com mais elementos, nesse caso. Dependendo dos hábitos do casal, é claro. Por exemplo uma TV já necessitaria de uma iluminação diferente e adequada.

Técnicas que poderiam ser usadas seriam a dimerização, luzes diretas e foco no closet, caso ele seja dentro do quarto. Enfim, ajustes! Todas coisas que pequenas que podem ser feitas, desde que da maneira correta.

E aí, gostou do que viu nessa matéria? Se você quiser uma análise semelhante para o seu ambiente ou ideia, entre em contato com a gente! Vamos tirar todas as suas dúvidas e te ajudar a entender mais sobre os erros e acertos na iluminação.



Clique na imagem para ver o vídeo:


 

 

Siga-nos em todas as redes sociais:

YouTube: http://bit.ly/LuzDecorEacao
Instagram: https://www.instagram.com/emporioluz/
Instagram 2: https://www.instagram.com/mantovanidesigner/
Facebook: https://www.facebook.com/EmporioLuz/
Facebook 2: https://www.facebook.com/luzdecoreacao/
Pinterest: https://br.pinterest.com/empo