Reprodução de Cor com Índice R9


 

Reprodução de Cor com Índice R9 Você já viu a gente falando sobre ciclo circadiano e reprodução de cores. Hoje iremos falar sobre reprodução de cor com Índice R9. Ele é mensurado a partir de um pacote de cores, listados em uma tabela normativa. A escala vai até 100, que é considerada como a cor do Sol. Isso porque nela temos a melhor reprodução de cor de um dado material.

 

Se temos um índice de 80%, dizemos que aquele elemento ilumina com a mesma característica de 80% do brilho solar. Essas medidas tem sido utilizadas através da escala R, que vai até R15. O gráfico abaixo mostra um pouco mais dessa escala de valores:

 Figura 1 - Gráfico da Escala R e RC.

 

 

Figura 2 - Gráfico da Escala R e RC.

Figura 1 e 2 - Gráfico da Escala R e RC


Todas as cores juntas geram o índice chamado RA. Quanto maior o RA, melhor é a média de
cores. A tendência do mercado é que exista uma adequação e uso quanto a essas duas escalas. Quem é do ramo de iluminação sabe que cores são um dos assuntos mais críticos e comentados desde sempre. E agora com o LED esse tema tem estado mais uma vez no topo.

 

Antigamente não existia a questão do R9 pela falta de necessidade. No passado eram utilizadas lâmpadas incandescentes e halógenas, que possuem um alto R9, de quase 100%. Nosso olho nem consegue perceber o 100%. Algumas fluorescentes tem índices que vão dos 30% até valores negativos.


Mas a dinâmica era outra. Se fosse necessário uma opção de cores fiel, utilizávamos as opções citadas acima. Como existe hoje uma questão ambiental sobre eficiência energética. Hoje ainda é possível encontrar lâmpadas incandescentes com gás halógeno com consumo de 40W ou menos.

 

 

Como medir


 

Com a ajuda de um espectômetro, vamos focar a luz no sensor do aparelho e fazer as medições. Após um tempo de carregamento, os dados aparecem em uma tela que faz parte do produto. Você pode ver isso melhor nas imagens abaixo:

 Figuras 3 - Reprodução de cores com Índice R9.

 

Figuras 4 - Reprodução de cores com Índice R9.

 

Figuras 5 - Reprodução de cores com Índice R9.

Figuras 3 a 5 - Reprodução de cores com Índice R9.


Segundos os dados do gráfico acima, do R1 ao R15 a nota mais baixa foi 98. No R9, que é o tom vermelho, deu 98%. Isso significa que ela tem um alto índice de reprodução nessa cor, tendo uma grande média de RA. Mas temos que levar em conta a questão da eficiência energética caso queiramos adquirir um produto desses.


Focando uma dicróica halógena, o resultado é praticamente igual. A média de RA ficou em 98,8%, com IRC acima de 95%.

 

 

LEDs e o R9


 

Como a maioria dos LEDs vem da cor azul, eles acabam reproduzindo muito bem apenas esse tom e nisso vem a evolução para reproduzir bem outras cores. Hoje, sem dúvidas, o LED acaba sendo a melhor opção por conta da economia que ele proporciona. Em uma vitrine de loja, independente da cor das peças, deve-se procurar um led com alto fator de R9, que reproduz melhor as cores das roupas numa maneira geral.


Hoje a tendência é que sejam criadas lâmpadas e luminárias específicas para cada ocasião, com perfis luminosos especiais. Por exemplo, um quadro colorido como os do Picasso vai exigir uma lâmpada com alto índice de R9. Isso vai ajudar a realçar as cores que o quadro tem.


Hoje existem luminárias com LED acoplado. Uma loja de vestidos de noiva, que são claros,
podem se beneficiar de um LED com saturação clareada, destacando melhor o branco de cada roupa. Com isso o LED acaba sendo um produto que dinamiza a iluminação, ampliando os seus horizontes.

 

 

Reprodução de cor com índice R9 no passado


 

Fazendo o teste com uma lâmpada fluorescente, descobrimos que o R9 dela é -4. Logo, isso
mostra seu baixo índice de fidelidade com relação à cor vermelha. Também fizemos o teste com uma lâmpada clássica chuveirinho. Se você não conhece esse produto, trata-se de um conjunto de lentes que funcionam juntos formando uma só lâmpada.


Por mais incrível que pareça, essa lâmpada deu -42. Mais uma que tem uma péssima reprodução de cores. Utilizando uma chuveirinho mais forte, o valor deu -40. Ao fazer com uma dicróica, o resultado foi -35. É possível ver uma evolução nos valores de acordo com a época de cada produto.


Utilizando um produto de tecnologia mais recente, como uma dicróica da última geração, temos um R9 de 13. Ele é considerado baixo porque temos em 50 o valor ideal para um bom índice R.


Medindo uma lâmpada mais profissional que temos na nossa loja, com dimerização, alcançamos um valor de R9 de 50, o que já é considerado uma qualidade boa. Já esse produto tem um R9 de 52. Assim podemos ver como produtores melhores tendem a ter uma fidelidade de cor melhor.


Você pode ver mais testes de reprodução de cor com índice R9 que foram feitos neste vídeo!

 

 

Produtos mais simples


 

Uma das características de lâmpadas com baixa fidelidade nas cores é seu baixo custo. Isso
acontece por serem produtos de material mais simples. Boas lâmpadas utilizam elementos como solda com prata e ouro, maior uso de fosfato para alcançar os tons de vermelho, entre outras coisas.

 

O que achou desse assunto? Se você tem interesse em saber mais sobre reprodução de cor com índice R9, nos siga no Facebook! Lá estamos sempre postando dicas de iluminação, produtos e técnicas para seus projetos. Aprenda com a gente!

 


 

Assista abaixo o vídeo completo:

 

 

Siga-nos em todas as redes sociais:


YouTube: http://bit.ly/LuzDecorEacao
Instagram: https://www.instagram.com/emporioluz/
Instagram 2: https://www.instagram.com/mantovanidesigner/
Facebook: https://www.facebook.com/EmporioLuz/
Facebook 2: https://www.facebook.com/luzdecoreacao/
Pinterest: https://br.pinterest.com/emporioluz/
Twitter: https://twitter.com/emporio_luz