Dicas

Confira os tipos de lâmpada e qual utilizar para economizar energia

Publicado em 15/10/21 por Empório Luz.

Tipos de Lâmpadas

Tipos de Lâmpadas

Fala galerinha iluminada, tudo bem? 

O nosso artigo de hoje, tem base num vídeo do nosso canal Luz, Decor e Ação! que ensina quais lâmpadas podem nos auxiliar na redução de gastos e mesmo assim, são eficientes na iluminação dos nossos ambientes.

 

Se você estava procurando formas de reduzir seus  gastos com energia, veio ao lugar certo! 

Neste artigo vamos te mostrar os tipos de lâmpadas, sendo:

  • Incandescente;
  • Halógenas;
  • Fluorescentes;
  • LED;

Veremos também quais dessas opções tem melhor custo benefício e alguns dos modelos mais utilizados nas residências, por exemplo: 

  • Filamento de LED;
  • Bulbo;
  • Par 20, Par 30 e Par38;
  • Dicróica e Mini Dicróica;
  • AR70 e AR111.

Que tipo de lâmpada é a mais econômica?

As lâmpadas são responsáveis por boa parte dos gastos com energia de uma casa, por isso, fazer a escolha certa na hora da compra pode fazer toda a diferença no orçamento.

Para facilitar a sua vida, listamos quatro tipos de lâmpadas e as suas principais características para que você esteja bem informado quando decidir qual é a melhor opção para a sua casa. 

Alguns dos modelos podem até ter um preço mais alto do que esperado, mas a economia que elas podem gerar em longo prazo faz com que a compra valha a pena!

 

1. Incandescente 

O funcionamento deste tipo de lâmpada ocorre por meio do aquecimento de um material chamado tungstênio, que ao atingir certa temperatura emite luz. 

Esse processo ocorre por meio do Efeito Joule que gera o calor que emite a luz através da passagem de corrente elétrica.

Um dos maiores problemas das lâmpadas incandescentes é o fato que mantinham o calor retido. Como o filamento de tungstênio utilizado nesse tipo de lâmpada chegava a temperaturas de até 3000°C, o risco de acidentes era altíssimo.

Lâmpadas Incandescentes

Lâmpadas Incandescentes

 

Considerando a quantidade de calor, consumo de energia e a durabilidade média de 1000 horas, a lâmpada incandescente é a que oferece menos eficiência luminosa entre as outras alternativas existentes. 

A Portaria Interministerial nº 1.007 publicada em 31/12/2010 estabeleceu limites mínimos de eficiência luminosa a serem cumpridos para a fabricação e comercialização das lâmpadas.

Esse fato fez com que as lâmpadas incandescentes que consumiam mais do que 60 watts tivessem a circulação proibida, por não cumprirem os padrões mínimos de eficiência luminosa estabelecidos pela norma.

 

2. Halógena

As lâmpadas halógenas possuem esse nome porque acendem por meio da reação química que o gás halogênio produz quando entra em contato com o vapor de tungstênio.

Tipos de Lâmpadas

Arq. Roberta Bankeri – Banheiro

A lâmpada halógena costuma ser bastante procurada pela qualidade do seu brilho. E por virem em muitos formatos diferentes como dicróica, palito, AR70, Par20 e outros, é a queridinha dos arquitetos e decoradores, porque podem ser usadas como luz de destaque, na decoração de jardins, e em ambientes como salas e quartos.

Elas são um pouco mais caras, mas consomem menos energia e duram mais tempo que as lâmpadas comuns (incandescentes): podem durar até 4.000 horas. Outro benefício: as lâmpadas halógenas são até 30% mais econômicas que as incandescentes.

 

3. Fluorescentes

Uma das principais alternativas para substituir as lâmpadas incandescentes, são as lâmpadas fluorescentes. 

Com o funcionamento através de dois pares de eletrodos e um material a base de fósforo em sua cobertura, as lâmpadas fluorescentes produzem luz por meio da radiação ultravioleta.

As lâmpadas fluorescentes são mais econômicas que os dois tipos anteriores se for levado em consideração a sua durabilidade. Podem até ser mais caras, mas chegam a durar entre 7.500 e 8.000 horas.

Para fazer uma comparação: uma única lâmpada fluorescente de 15W equivale à uma incandescente de 60W, fazendo com que a conta de luz fique até 80% mais barata.

Apesar de ser mais econômica, a lâmpada fluorescente possui materiais tóxicos como o mercúrio em sua composição. Por esse motivo, se o descarte for feito de maneira incorreta, esse tipo de lâmpada é prejudicial ao meio ambiente.

 

4.  LED

Esse é o tipo de lâmpada mais econômico da lista:  80% mais econômica que as incandescentes e 30% mais econômicas que as fluorescentes. Com uma média de até 25.000 horas de vida útil, uma lâmpada de LED de 10W ilumina um ambiente com a mesma intensidade de uma lâmpada incandescente de 60W ou uma fluorescente de 15W.

O LED nem sempre é mais caro que as outras opções, hoje o preço está bem mais acessível se compararmos aos anos anteriores, mas em compensação também podem diminuir o consumo de energia em até 85%. A longo prazo, as lâmpadas de LED terminam tendo um melhor custo benefício. E ainda tem mais: Elas são sustentáveis. Como tem uma maior durabilidade, são menos descartadas, esquentam menos e quase toda a estrutura pode ser reciclada. É benefício para você e para o ambiente.

 

Para conferir lâmpadas LED, clique aqui

 

Mas como calcular o consumo de energia?

 

Se a ideia é reduzir os gastos, pode ser uma boa colocar na ponta do lápis o quanto de energia você consome.

Para fazer esse cálculo, você precisa saber a potência da lâmpada (watts), o número de horas em que a lâmpada fica ligada e os dias de uso. Depois é só multiplicar tudo.

Por exemplo, se você tem uma lâmpada de 60W que fica ligada por 8 horas durante 30 dias o cálculo seria: 60x8x30. O consumo de energia dessa lâmpada é de 14.400W. Para completar, é preciso dividir esse número por 1000 porque nas contas o consumo é medido em KW/h, ou seja, o consumo da lâmpada é 14,4KW/h.

 

Modelos de lâmpadas de LED mais utilizados nas residências

Depois de conferir os tipos de lâmpadas e entender porque as lâmpadas de LED são mais econômicas e eficientes, veremos agora os modelos de lâmpadas de LED que são mais utilizados em residências.

 

Lâmpada Filamento de LED

As lâmpadas de filamento tem como característica o brilho suave, produzindo iluminação aconchegante e intimista. 

Essa lâmpada possui beleza característica que proporciona o uso como um elemento decorativo, sem a necessidade de escondê-la com outras luminárias.

É um tipo de lâmpada que possui vários formatos e a maioria é compatível com soquete E27. 

Tipos de Lâmpadas

Lâmpada Filamento LED

 

Combina muito com decorações com estilo retrô e tem sido muito utilizada em peças com acabamento industrial, veja:

Decoração Industrial

Decoração Industrial

 

Bulbo de LED

É uma das lâmpadas de LED mais utilizadas. 

Excelente opção para substituir as lâmpadas incandescentes com formato muito semelhante, porém com o vidro leitoso (o vidro transparente é o do modelo filamento de LED). 

Pode ser utilizada nas residências de forma direta e também em luminárias de diferentes modelos. Possui o tradicional soquete E27.

Esse modelo de lâmpada não produz luz pontual com foco direcionado, sendo assim, a luz é emitida em todas as direções do espaço, de forma igual. O mesmo ocorre com a lâmpada de filamento de LED.

As lâmpadas bulbo LED possuem variedade de temperatura de cores, versões dimerizáveis e diferentes potências.

Tipos de Lâmpadas

Bulbo LED

Há também as lâmpadas modelo mini bulbo (também conhecidas como lâmpada bolinha), que seguem a mesma lógica da bulbo LED, porém, com tamanho e variedade de temperaturas de cor menores.

As lâmpadas bulbo e mini bulbo além de iluminação geral nas residências também são muito utilizadas em camarins.

Mini Bulbo

Lâmpadas Mini Bulbo

 

Par 20, Par 30 e Par 38.

Os modelos da “família par” são os mais utilizados quando o objetivo é obter uma luz pontual, com fachos direcionados, mas dependendo do ângulo utilizado, também podem iluminar ambientes de forma geral.

O que diferencia esses modelos são basicamente três aspectos:

  • Tamanho –  (os números 20, 30 e 38 correspondem aos diâmetros que cada uma têm);
  • Potência –  (Quanto maior a lâmpada mais potente será, e portanto, maior será o alcance);
  • Ângulos de Abertura – (Quanto maior a lâmpada maior será a abertura do facho em direção ao objeto ou local a ser iluminado, podendo ser de maior ou menor intensidade).
Lâmpadas PAR20

Lâmpadas PAR20

 

Os modelos da família par possuem algumas opções de ângulos a serem usados de acordo com o objetivo, e além disso, possuem modelos dimerizáveis e com as temperaturas de cores convencionais disponíveis. 

Além disso, existem diferentes índices de proteção para possibilitar o uso em ambientes externos.

As lâmpadas modelos PAR 38 são indicadas para ambientes que tenham pé direito alto, pois a potência e ângulos de abertura permitirão que a luz chegue em boa quantidade à superfície.

Dicróicas e Mini Dicróicas

As lâmpadas dicróicas são bastante utilizadas para decorar os ambientes e podem ser utilizadas em diversos espaços da residência, desde que observado o cuidado em relação ao design da luminária escolhida para que fique proporcional. 

São lâmpadas que possuem soquetes GU10 ou GZ10. Têm versões dimerizáveis e também possuem as temperaturas de cores padrões do mercado.

São bastante utilizadas para produzir iluminação focada que dê destaque para elementos decorativos.

Assim como em outros modelos de lâmpadas,  possui relação inversamente proporcional entre distância e fluxo luminoso, sendo assim, quanto mais alto for o local de instalação menor será o fluxo luminoso que chegará às superfícies.

Lâmpadas Dicróicas

Lâmpadas Dicróicas

 

As lâmpadas mini dicróicas são de forma resumida versões menores das lâmpadas dicróicas. São compatíveis com bases GU10 e por terem tamanhos reduzidos, também têm ângulos mais fechados e por consequência fachos que proporcionam iluminação ainda mais focada em pontos específicos.

Por terem medidas reduzidas, as mini dicróicas são boas opções para decoração de espelhos e nichos e para evidenciar objetos a curta distância.

Lãmpadas Mini Dicróicas

Lâmpadas Mini Dicróicas

 

AR70/AR111

O nome da lâmpada vem da abreviação de aluminiun reflector, ou seja, o alumínio age como o principal elemento refletor da luz. As lâmpadas AR70 e AR111 possuem ângulos de 12° ou  24º e grande maioria desses modelos utilizam soquete GU10.

Essas lâmpadas criam efeitos mais cênicos, isso porque a luz não estoura sobre os produtos porque não é uma luz direta. 

É excelente para evidenciar elementos e texturas, porque permitirá que a luz foque no objeto e nas texturas dos revestimentos sem ofuscar a quem observa. Tem versões dimerizáveis e, assim como os outros modelos citados, temperaturas de cores padrões do mercado.

Veja na imagem abaixo a diferença entre algumas lâmpadas mencionadas:

Tipos de Lâmpadas

Comparativo de Lâmpadas Fonte: Samlux

Você precisará considerar também que pode existir uma variação de até 10% do fluxo luminoso em função da temperatura de cor escolhida, e embora essa diferença seja praticamente imperceptível, é bom que seja considerada.

Reunimos aqui as informações sobre as lâmpadas mais utilizadas e qual efeito esperar de cada uma delas, além explicar quais as opções mais vantajosas e econômicas entre incandescentes, halógenas, fluorescentes e LED.

 

Pronto! Agora você já tem uma ideia do funcionamento e das vantagens e desvantagens de cada uma dessas lâmpadas. Já pode correr para a nossa loja virtual e escolher a sua!

 

Gostou deste artigo? Compartilhe-o em suas redes sociais, para que mais pessoas possam conferir estas dicas!

Siga-nos em todas as redes sociais:

YouTube: Luz, Decor & Ação!
Instagram: Empório Luz Design
Instagram 2: Bruno Mantovani Design
Facebook: Empório Luz Design
Facebook 2: Luz, Decor & Ação!
Pinterest: Empório Luz Design
Twitter: Empório Luz Design




Deixe seu comentário


Siga-nos no Instagram

Luz, Decor e Ação Bruno Mantovani

Acompanhe no YouTube

Toda terça às 19h

Inscreva-se

Compre em nossa loja virtual e receba no conforto da sua casa.