Dicas

Saiba qual lâmpada escolher para melhorar a iluminação da sua casa

Publicado em 26/06/20 por Empório Luz.

Minha mãe mandou eu escolher essa daqui, mas como eu vi o blog da Empório Luz, eu vou escolher essa daqui! Sim, pode ser tão mais fácil quanto um jogo, mas desde que você saiba a quem procurar e tenha uma equipe te auxiliando em sua iluminação. Por exemplo, você sabia que uma lâmpada incandescente usa 90% da energia que consome em forma de calor e fornece apenas 10% de luz? Isso mesmo! E como é que está o uso de lâmpadas incandescentes na sua morada? Este artigo foi feito para você, que quer compreender melhor na prática, como melhorar a iluminação do seu ambiente. Vamos lá?

 

Ver esta linha do tempo nos faz perceber que a tecnologia auxiliou muito a iluminação, não é mesmo? Além das iluminações artificiais, não podemos também nos esquecer do nosso Sol, ele também deve ser muito bem-vindo na sua casa.

 

Quais são os tipos de luz e suas temperaturas?

 

A luz influencia a resposta emocional das pessoas que habitam o espaço. A aparência e a natureza deste local dependem em grande parte da distribuição e do tipo de luz e sombra.

O projeto de iluminação não se inicia com a seleção das luminárias, mas com a avaliação das necessidades do ocupante, suas capacidades visuais e físicas, sua idade e o seu estilo de vida. (Pessoas mais velhas requerem muito mais luz do que pessoas mais jovens; uma pessoa acima de 60 anos de idade requer duas vezes mais luz do que uma pessoa de 20
anos para realizar mesma tarefa).

Compreendendo cada necessidade, nós também partirmos à temperatura de cada iluminação e o que ela nos auxilia diariamente.

Luz neutra: esse tipo luz normalmente é utilizada em recepções, locais de movimentação circular. Uma área que não exige tanto foco, nem tanto aconchego assim.

Luz quente: esse tipo de luz normalmente é utilizada em salas de estar, por conta de sua coloração amarela, traz conforto e bem-estar.

Luz fria: esse tipo de luz normalmente é utilizada em locais para foco e trabalho, como escritórios, cozinha e lavanderia.

Vale ressaltar que, não há receita de luz. Cada projeto é único e se você, por exemplo, quer trazer mais aconchego ao seu escritório, porque na verdade é um terapeuta, a luz amarela pode ser bem-vinda ou até mesmo cores de cromoterapia. Quer saber mais sobre cromoterapia? Clique aqui. Quer conversar com o nosso time e adquirir um projeto para seu ambiente? Clique aqui.

 

Quais são os tipo de lâmpada?

Os exemplos acima conseguem identificar muito bem a diferença de preço médio entre cada lâmpada e a diferença de consumo entre elas, além da potência. 

Lâmpada incandescente: era muito comum de se encontrar nos ambientes e também trazia um preço bem mais acessível. Mas hoje, por conta do seu alto consumo de energia (6480kWh), esta lâmpada já não é mais tão procurada. É o famoso “barato sai caro”.

Lâmpada fluorescente: com um valor mais que a anterior, esta lâmpada possui um consumo de energia bem superior e durante um ano, pode chegar ao triplo de economia. 

comparado à lâmpada incandescente.

Lâmpada de LED: com um valor médio bem parecido com a fluorescente, a lâmpada LED faz seu trabalho bem feito. Com apenas 10 W é possível deixar um ambiente iluminado, tanto quanto uma de 60 W incandescente, por exemplo. Quando chegou ao mercado, essa lâmpada tinha um valor muito mais alto, mas conforme foi sendo solicitada pelo mercado, seu preço caiu e se tornou mais acessível. Se formos olhar num período a longo prazo, a lâmpada LED trará ao seu ambiente um consumo menor e com iluminação de qualidade.

Confira >>> 5 erros e acertos na iluminação residencial

Quer garantir suas lâmpadas? Clique aqui!

 

Iluminação por ambiente da sua casa – Hall de entrada


Projeto: Erica Salguero

É o primeiro lugar da casa que as pessoas conhecem, se for um espaço pequeno pode-se utilizar lâmpadas frias ou neutras que dão a sensação de que o lugar é maior, objetos de decoração podem ser destacados com spots. Para uma luz bonita e convidativa o pendente é uma boa solução e pontos de luz espalhados funcionando bem.

 

Iluminação por ambiente da sua casa – Escritório


Projeto: Cristiane Schiavoni

Se você está trabalhando em casa, é necessário ter alguns cuidados e ficar alerta principalmente à iluminação que está utilizando. Este local deve receber luz que ilumine a mesa de trabalho, podendo ser 3000K/4000K/ 6500K. Tradicionalmente usa-se branca para melhor produtividade, mas tem uma tendência grande do uso de tons neutros e amarelos. O importante é estudar cada caso e que o local fique aconchegante e que não de sono, assim mantendo a produtividade do trabalho. Luminárias de mesa com foco direcionável ajudam na hora da leitura. O ambiente precisa ser bem iluminado para evitar cansaço nas vistas e dores de cabeça que causam irritabilidade, além de diminuir o rendimento do serviço.

 

Confira >>> 6 dicas essenciais para melhorar a produtividade do seu Home Office

 

Iluminação por ambiente da sua casa – Sala de Estar


Projeto: Cotta Arquitetura

Costumam ser espaços de receber visitas, assistir TV e até mesmo de convívio, então é interessante criar várias cenas, luzes dimerizáveis por exemplo, permitem o controle da intensidade das lâmpadas, ou então a automação.

Por exemplo, o ambiente precisa estar mais claro para receber visitas, mas um ambiente com luzes mais amenas fica agradável para assistir um filme.


Projeto: Sandra Caliolo

O primeiro passo é estabelecer uma iluminação geral para o ambiente. Neste caso, uma boa saída é a iluminação direta por meio de arandelas, lustres, pendentes, ou abajures de cúpula translúcida, que iluminam de maneira agradável ou indireta por meio de sancas evitando assim o ofuscamento. O segundo passo é uma iluminação de destaque, ou seja, em coleção de quadros, estantes, etc. Nesse caso podem ser utilizados embutidos orientáveis, de modo a proporcionar uma boa superfície iluminada, mas evite instalá-los sobre os sofás e assentos para não causar um desconforto.


Projeto: Sandra Caliolo

Recomenda-se luz indireta próxima a TV, além de iluminar os espaços ao seu redor evitando ofuscamento.

 

Iluminação por ambiente da sua casa – Sala de Jantar


Projeto: Cotta Arquitetura

Além de iluminar as pessoas que estão à mesa, a sala de jantar precisa ter uma boa iluminação para que se possa ver o que é servido. Mesas grandes costumam precisar de mais de um pendente ou lustre, mas é necessário se atentar ao tamanho e altura de cada peça, para evitar que atrapalhe as pessoas.

 

A iluminação pode ser suave e dependendo do projeto, a sombra dura fica interessante. Se for um projeto contemporâneo, invista em sombras suaves, e deixe uma uniformidade de luz geral. Numa sala de jantar mais urbana ou industrial, ou até mesmo rústica numa varanda com mesa de demolição, a luz pode permanecer suave na mesa, com sombra ao redor, isso dá um toque ímpar. Uma luminária de piso ou abajur ao lado pode ser uma boa pedida. O tipo de acabamento do tampo da mesa influência na escolha da distribuição da luz: luz para baixo pode causar reflexões especulares irritantes a partir de superfícies brilhantes, como vidro ou mármore; se toda a luz e dirigida para a mesa, uma toalha de mesa colorida pode colorir a luz por reflexão. Algumas fontes expostas e sem proteção são toleráveis, desde que, levemente fosqueadas, especialmente se há luz geral no ambiente e o fundo não é tão escuro.

 


Projeto: Modello Arquitetura

Quanto mais escuras as paredes, mais luz será necessária para manter as relações de luminância do ambiente dentro de níveis confortáveis. Em situações onde a mesa de jantar é deslocada de tempos em tempos, são desejáveis pendentes flexíveis.

Uma das soluções mais usuais e o pendente sobre a mesa, instalado no mínimo a 70 cm acima do tampo para evitar o ofuscamento nos olhos de quem senta à mesa. Escolha lustres que sejam pelo menos 30 cm menores em diâmetro que a menor dimensão da mesa de jantar e utilize lâmpadas leitosas ou com difusores.

Outra opção é o embutido no forro iluminando diretamente o centro da mesa de jantar e os planos verticais. Outras possibilidades: uso de arandelas, principalmente as que jogam luz tanto para baixo como para cima, atentando para a altura para não provocar desconforto; ou cortinas de luz, etc. Em ambientes integrados, criar um espaço luminoso, uniforme e aberto com iluminação horizontal projetada sobre a parede.

 

Confira >>> Dicas de Decoração e Iluminação para Varanda Gourmet

 

Iluminação por ambiente da sua casa – Cozinha


Projeto: Cotta Arquitetura

 

Utilizar ao máximo a luz difusa e ao mínimo a luz pontual para evitar reflexos principalmente nos pisos. A luz deve ter uma iluminância elevada e boa reprodução de cores. Utilizar lâmpadas fluorescentes ou LEDs de alta temperatura. Podendo em certos casos trabalhar com 3000K(luz amarela) ou 6000K(luz branca). No plano de trabalho, na bancada da cuba e áreas de apoio a iluminação pode ser instalada na base dos armários luminárias de LEDs.

Um cuidado a ser tomado e com toda a homogeneidade estética entre piso, acabamento, mobiliário e pendente caso venha a ser utilizado na cozinha.

Pia: Aconselhamos investir em spot direcionável. Se quiser inserir luz embaixo do armário, aconselhamos a usar perfil de LED, pois o difusor de acrílico ajuda a deixar a luz difusa, tirando os pontinhos do LED e evitando o reflexo na pia.

Bancadas: Cuidado ao utilizar luz sobre os armários superiores ou embutidos orientáveis localizados sobre a linha final da bancada e aos lados da área de trabalho principal porque podem fornecer luz muito forte. Atentar para a correta coordenação entre os arcos de luz ou arremates com as superfícies da parede e da bancada. Ter ainda mais cuidado ao localizar luz para baixo (downlighting) aparente, que não seja embutida, para que não bata diretamente sobre o usuário do balcão, isso se deve a preocupação de evitar ofuscamento na vista do usuário.


Projeto: Erica Salguero

Sobre armários: Utilizar luz indireta ou refletida do forro (acabamento fosco) para que se tenha uma iluminação completa em toda a cozinha. Quando utilizar fluorescente ou LEDs, manter o afastamento da parede do fundo e sobrepô-las para reduzir sombras de encaixe das lâmpadas tubulares.

Debaixo dos armários: Localize os equipamentos lineares, de iluminação fluorescente ou LEDs, o mais próximo possível da borda frontal do móvel e com a face para a superfície de rebatimento para uma melhor distribuição de luz. Assim, o equipamento não causará ofuscamento quando o usuário estiver sentado em uma área adjacente. Qualquer equipamento instalado sobre uma superfície escura e/ou brilhante será rebatido na bancada. Uma excelente opção é utilizar perfil de LED, pois o difusor de acrílico ajuda a deixar a luz difusa, tirando os pontinhos de LED e evitando um reflexo desagradável. 

Confira >>> Confira o Certo e Errado na Iluminação Residencial – Cozinha

 

Iluminação por ambiente da sua casa – Dormitórios


Projeto: Tetriz Arquitetura

Deve-se evitar luzes diretas em cima da cama, isso pode ofuscar o dono do quarto. Pendentes e abajures são uma boa saída para quem divide o quarto, assim cada um, de forma independente pode controlar a sua iluminação, isso não atrapalha o parceiro caso queira ler ou levantar durante a noite.
Quartos com TV podem receber uma iluminação próxima do aparelho para que demais luzes possam ser apagadas criando um clima mais acolhedor. Outra opção para quartos são as luzes dimerizáveis e a automação.

 

Dormitório de bebê


Projeto: Cotta Arquitetura

A luz deverá ser suave com temperatura de cor baixa, em torno de 2.700K (amarela), e sempre com a possibilidade de dimerização. A luz mais importante é a que iluminará o local da troca do bebê e a hora de amamentação. Prever uma luz de segurança que possa permanecer acesa durante toda a noite sem prejudicar o bebê. Para isso, utilizar lâmpadas LED.

 

Dormitório de criança


Projeto: Cotta Arquitetura

Deve-se ter uma iluminação geral, uma iluminação de apoio na cabeceira da cama e uma iluminação projetada para realçar os brinquedos. Uma opção é trabalhar com pendentes para a escolha de uma luminária decorativa. No geral, as soluções devem permitir mudanças que acompanhem o crescimento da criança que irá precisar de mais luz em suas atividades. Deve-se evitar temperatura de cor elevada, acima de 6.000K, no dormitório da criança, pois quanto maior a temperatura, mais desperta a criança na hora de dormir. Se o local serve também ao lazer, é indicado dividir a iluminação em 2 circuitos ou mais, para ter cenas de iluminação diferentes: uma para estudo e outra para luz geral e lazer, podendo variar de 2700K a 6500K dependendo do projeto. Normalmente se usa a temperatura de luz 3000K (luz amarela) e 4000K (luz neutra) por ser um tipo de luz que atende o aconchego e ao mesmo tempo tem uma luz boa para hora dos estudos.

 

Dormitório de adolescente


Projeto: Cotta Arquitetura

A luz deve ser geral, difusa e uniforme. Em quarto de adolescentes é uma tendência nos projetos não só para quartos é o uso de tenda com tecido acetinado lavável, pois permite uma boa quantidade de luz uniforme para favorecer o estudo e a leitura, além de permitir o uso de reatores dimerizáveis ou sistema de controles para deixar o ambiente com uma quantidade de luz mais agradável. Em dormitórios em que há áreas verticais com prateleiras e estantes, objetos e spots, utilizar um sistema assimétrico iluminando área por área.

 

Dormitório de casal


Projeto: Cotta Arquitetura

 

A luz deve ser geral, difusa, uniforme e com bom controle de ofuscamento para contribuir com quem tem o hábito de ler a noite. A iluminação de cabeceira, com luminárias ao lado da cama, também podem favorecer a leitura. Esta luz pode ser indireta por meio de uma sanca ou nichos iluminados também chamados de cortinas de luz. Nesse caso, a fonte tem que ser leitosa e ter uma temperatura de cor quente. Já o uso de sistema de controle de luz centralizado permite grande flexibilidade e dimerização.

 

Confira >>> Certo e Errado na Iluminação Residencial – dormitórios

Confira >>> Dicas de Decoração e Iluminação para Quarto de Casal e Quarto Infantil

 

Iluminação por ambiente da sua casa – Banheiros


Projeto: Cotta Arquitetura

 

Seguem um padrão parecido com o de cozinhas, precisam ter uma iluminação geral, que deixe todos os cantos bem iluminados. Podem ser feitos focos de luz em objetos de decoração e em áreas como a pia, box, até mesmo o vaso sanitário.

Esses focos podem variar de acordo com o hábito dos moradores, por exemplo, se o espelho do banheiro for utilizado para fazer maquiagem, serão necessários focos de luz que não criem sombras e não alterem na cor da maquiagem, o mesmo cuidado para quem fez a barba, o rosto precisa estar bem iluminado e um foco no teto pode iluminar somente uma parte da face.


Projeto: Odilon Zumba

 

Uma das características principais é o cuidado com a iluminação de espelhos, pois é fundamental o uso de luz difusa, posicionada nas laterais ou sobre ele, de tal forma que ilumine o rosto como um todo e não cause ofuscamento. Não utilizar lâmpadas focais direcionadas porque marcam todos os detalhes do rosto. A luminária do espelho deve dirigir a luz diretamente para a pessoa e não para o espelho.

 

Esse BLOG foi escrito de modo a direcionar você leitor a ter um norte e ideias de projetos, pois todo projeto é único e sempre existem outros modos de serem feitos. Principalmente em um ambiente de criatividade!

 

 

 

Gostou deste artigo? Compartilhe-o em suas redes sociais, para que mais pessoas possam conferir estas dicas!

 

Convidamos você também para visitar a nossa loja física ou a nossa loja virtual. Quer conversar com um dos nossos especialistas em iluminação e decoração? Entre em contato com a nossa equipe!

 

Siga-nos em todas as redes sociais:

YouTube: Luz, Decor & Ação!
Instagram: Empório Luz Design
Instagram 2: Bruno Mantovani Design
Facebook: Empório Luz Design
Facebook 2: Luz, Decor & Ação!
Pinterest: Empório Luz Design
Twitter: Empório Luz Design




Deixe seu comentário


Siga-nos no Instagram

Luz, Decor e Ação Bruno Mantovani

Acompanhe no YouTube

Toda quarta às 11h

Inscreva-se

Compre em nossa loja virtual e receba no conforto da sua casa.

WhatsApp chat